?

Log in

Sticky Post

Descubra a Logoterapia! É mais que psicologia.
Na foto do perfil, Chiara Lubich, que também teve muitos sonhos, muitos dos quais se concretizam, aos poucos...

Abaixo, um dos grandes personagens da história e com certeza a sua é uma mensagem também para a sociedade de hoje.
A sua fé e também a expressão desta fé podem ser questionadas, mas a sua convicção no diálogo, na liberdade e responsabilidade permanecem como ícones da cultura americana. Vale a pena rever.


My tweets


  • Wed, 16:19: RT @AleDeBarbieri: “Not everything that can be counted counts, and not everything that counts can be counted.” Albert Einstein: "Não tudo que pode ser contado conta, e não tudo que conta pode ser contabilizado".

  Einsten, sabendo ou não, estava falando dos valores frankleanos, ou seja, aqueles que não podem ser contabilizados. A família pode ser um valor não contábil, assim como um copo d´agua, assim como um sorriso ou um momento de paciência no momento mais crítico do relacionamento. Ontem dialogava com uma excelente profissional, educadora, e ela me contava sobre as questões dos limites, ou mais exatamente, a questão da ausência dos limites...

          Não percebemos, na cultura contemporânea, que a dor, o limite, o "não", tem um valor importantíssimo! Precisamos de pais, avos e avós, tios, professores, psicólogos, adultos todos, redescobrir os caminhos que mostram os valores dos limites!

My tweets

My tweets

HÁ QUANTO TEMPO!!!!

Fazem alguns anos que não escrevo aqui no Psicologia e Vida!
E não foram poucas as vezes que fiquei desejoso de manter contato com este grupo, principalmente o ver que, apesar de quase 3 anos de ausência, ainda hoje recebo comentários positivos de amigos e, quando vejo os mapas que estão no lado direito, o mais das vezes percebo que 4 ou 5 pessoas visitaram o blog. Surpresa? A surpresa não termina aí, pois hoje confirmei - mais uma vez - que muitos visitantes são de outros países:

Recentes [?]
5/5 @ 18:07 : Rio De Janeiro, BR
5/5 @ 17:48 : Niterói, BR
5/5 @ 17:33 : Duque De Caxias, BR
5/5 @ 13:44 : Porto Alegre, BR
5/5 @ 00:18 : Maputo, MZ
4/5 @ 16:47 : Campina Grande, BR
4/5 @ 14:48 : Viamão, BR
4/5 @ 01:38 : Simi Valley, California, US
3/5 @ 08:12 : Mountain View, California, US
2/5 @ 21:41 : Ashburn, Virginia, US

Quem sabe onde é Maputo? Pesquisei: em Moçambique!!!Maputo em 2006

Maputo, em 2006!


Com grande satisfação, coloco aqui uma foto de Maputo, uma cidade extraordinária, como podemos ver.
Por estes, os mais distantes, gostaria de poder escrever muito mais. Sem dúvida, também para os vizinhos de Caxias, Niterói e os não tão próximos, de Viamão, Porto Alegre, Campina Grande; sem esquecer os americanos de S. Valley, M. View e Asburn.

Quem sabe, até breve!

PSICOLOGIA E VIDA (1)

                  QUE PSICOLOGIA VOCÊ PROCURA??
(reedição)



A história da Psicologia mostra momentos marcantes que, infelizmente, distanciaram por demais a Psicologia de tudo que se refere ao transcendente enquanto aspecto humano ou religioso. Um dos conceitos mais marcantes, neste aspecto, vem de Sigmund Freud, reconhecido como o Pai da Psicanálise e um dos “pais” de grande parte da nossa cultura contemporânea. “A religião é uma doença”, sentenciou Freud. “Pensar no sentido da vida já é um sintoma de neurose”... Bem, felizmente Freud não foi o único grande nesta maravilhosa ciência que é a Psicologia.
 

            Gostaria de citar, sem exagero, que podemos equiparar Viktor Emil Frankl ao grande Pai da Psicanálise, mesmo se Frankl citava o próprio Freud como um ‘gigante’ e reconhecia a ele muitos méritos na construção da ciência que hoje conhecemos. Mas, sabiamente, Frankl acrescentava que, “se um anão sobe nos ombros de um gigante, vê mais longe”.
 

            Com certeza Frankl não foi um anão... Mas quem foi e, principalmente, o que Frankl “viu”? Antes de tudo, como tantos outros grandes da Psicologia, foi um contemporâneo de Freud, construiu uma amizade e relacionamento que o tornou um dos seus colaboradores, publicando, ainda jovem (19 anos), um artigo na revista científica dirigida pelo seu Mestre.
 

            Aos poucos Frankl percebe que, ao contrario das colocações de Freud, aquilo que move o Homem é uma força em busca de um sentido para a própria existência, um sentido para a vida e tudo que a ela está relacionado. Embora em um primeiro momento chama a sua teoria de Análise Existencial, mais tarde muda para Logoterapia, onde LOGOS refere-se a “sentido” na língua grega e Logoterapia como a “terapia a partir do sentido”.
 

            Frankl foi extremamente sábio e oportuno no colocar a Logoterapia oportunamente “distante” da religião, mesmo se profundamente ligada ao transcendente e por conseguinte ligada ao aspecto religioso presente no ser humano. Segundo Frankl, ao lado do bio-psicológico está um elemento até então desconsiderado na Psicologia e Frankl não teme em afirmar que no Ser Humano está presente o espírito e o Homem é um ser “bio-psico-espiritual”. Se para alguns o sentido da própria existência pode parecer um fator irrelevante, a experiência clínica tem mostrado o contrário e o mesmo pode testemunhar Frankl, pessoalmente, quando esteve preso por 3 anos nos campos de concentração nazistas.
 

            Mas qual o fundamento para o sentido da nossa existência? Frankl sustenta que é a própria existência a “buscar” realizar um sentido e isto é próprio e específico da existência humana e o fundamento está no fato que o Homem é também ‘espírito’ e não somente um “processo de combustão de oxigênio”, como sustentava Freud e outros. Sustentar uma posição oposta à frankleana é sustentar um niilismo, como citado pelo próprio autor da Logoterapia: 

                                   "Não foram apenas alguns ministros de Berlim que inventaram as câmaras de gás de Maidanek, Auschwitz, Treblinka: elas foram preparadas nos escritórios e salas de aula de cientistas e filósofos niilistas, entre os quais se contavam e contam alguns pensadores anglo-saxônicos laureados com o Prêmio Nobel. É que, se a vida humana não passa do insignificante produto acidental de umas moléculas de proteína, pouco importa que um psicopata seja eliminado como inútil e que ao psicopata se acrescentem mais uns quantos povos inferiores: tudo isto não é senão raciocínio lógico e conseqüente." (Sede de Sentido, São Paulo, Quadrante, 1989, p. 45.)

            Podemos contextualizar - no camp dos valores da vida humana - outros grandes personagens da História. Manathma Ghandi, conhecido pelo conceito de “não violência” e pela sua atuação na libertação da Índia frente à colonização britânica, dizia: “Descobri diversos motivos pelos quais estaria disposto a morrer, mas nenhum motivo pelo qual estou disposto a matar”. Ghandi foi radical naquilo que para ele era o sentido da própria existência, tanto que morreu em função destes motivos pelos quais lutou. Poderia citar outros conhecidos personagens, como Martin Luther King, Chico Mendes ou ainda Madre Teresa de Calcutá, todos que, respondendo a uma exigência, a um chamado interior, dedicaram a sua vida ao cuidado de uma causa, dos últimos e abandonados pela sociedade. Não poderiam passar despercebidos aqueles que, no Brasil, mas nao somente, literalmente “lutam” pela sobrevivência em sofridas circunstancias econômicas e sociais, mas zelam pela família, pelo cuidado dos filhos e/ou netos, sendo estes o sentido da própria existência.
 

No campo da Psicologia Clínica, percebo o quanto o despertar de um sentido – sempre existente, mesmo se encoberto – é importante e pode ser definitivo para a saúde mental do indivíduo. Este fato é mais perceptível quando em situações de extremo degrado da condição humana, como o desemprego, a desestruturação da família, a dependência química, a violência ou mesmo situações que envolvem crimes de qualquer natureza, mas é válido também para o nosso quotidiano. Exemplos: quem de nós não teve a dúvida sobre a “validade” de estudar este ou aquele conteúdo? A pergunta comum era e é: “Se quero ser um engenheiro, por que devo saber tanto de biologia?” Outro fato marcante é receber uma mesma nota – 8,0 por exemplo – para uma disciplina muito difícil, que exigiu muito esforço e também para uma disciplina considerada fácil: a nota 8,0 para a disciplina “difícil” com certeza traz mais gratificação para o aluno, trazendo à tona a existência de Valores e o quanto a realização destes é um fator importante para todos nós, na medida em que confere sentido para o que vivemos e para a nossa existência.

(continua em breve...)

NA CONTRAMÃO DA CULTURA

OS 3 R's



Os amigos sabem do meu interesse pela música e pela questão dos valores, sempre
transmitidos e sempre presente em tudo que refere-se ao ser humano.

A questão dos valores é central na Logoterapia, a linha ou escola de Psicologia
criada e defendida por Viktor Emil Frankl, austríaco de saudosa memória.

Pois nestes dias conheci um pouco mais de um músico
fora dos padrões atuais de consumo, pela mensagem que transmite.

JACK JOHNSON é o cara.

Algumas músicas estão sendo usadas nas escolas, tanto na Africa do Sul,
em alguns países da Europa, onde encontrei videos e também aqui no Brasil.
Escolhi este, de uma escola carioca, por ser legendado em portugues.

Mais um sinal que os valores não saíram totalmente de moda!
               Outro detalhe, alguns são mais universais do que poderiamos supor...


Os "3 R's": "Reduzir, reusar e reciclar" - proposta de
uma nova cultura que previlegia o consumo
consciente e responsável.
 


"OS 3 R´s"

 
 

My tweets

NASCEMOS PARA QUE MESMO? (4)

Anteriormente coloquei outros textos sobre um novo lançamento da Editora Cidade Nova, que chegou neste mes de Junho: "NASCIDO PARA AMAR", do Psicólogo Pasquale Ionata. O livro traz uma ótima atualização profissional sobre questões que entendo como fundamentais da nossa identidade enquanto ser humano.

Infelizmente, por ser percebido como ''não mensurável", ou seja, como não pode ser quantificado, não pode ser medido, a dimensão do ''amor'', foi praticamente excluída da Psicologia enquanto ciencia e os autores que tiveram ou tem a ousadia de mencionar o ''amor'' em suas obras correm o risco de não serem levados á serio...

"NASCIDO PARA AMAR"
(clique no link para ir ao livro)
 
Talvez esta realidade esteja mudando. O próprio Autor, Pasquale Ionata traz no livro recentes pesquisas do campo da neurobiologia mostrando o porquê desta percepção. Para os mais céticos, com certeza o caminho para mostrar a relação da biologia com a dimensão do amor ainda está muito distante e nisto podemos concordar, mas é difícil não identificar uma relação, ainda não clara, entre estas dimensões.

Mas o livro traz muitos elementos para as nossas reflexões. Abaixo, no link e na postagem a seguir, um pequeno trecho, com uma resposta de Einstein sobre a nossa relação com o universo. (!!!)
 
 

***

PENSAMENTOS IMPENSÁVEIS

O VidrO temPeraDo Não teM gosTo de NAda!

E dá uma dor de barriga...

***

Latest Month

October 2015
S M T W T F S
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

ABRAL - Associação Brasileira de Logoterapia e Analise Existencial (em preparação)

LOGOTERAPIA?

A Logoterapia é uma pequena revolução dentro da Psicologia! "A vida sempre tem um sentido", afirma Frankl, mesmo nas situações mais dramáticas, como a II Guerra Mundial e mesmo durante e após os 3 anos preso nos campos de concentração nazistas.
O ser humano é corpo-mente-espírito e tem a capacidade única do auto distanciamento e a sua dimensão de liberdade lhe confere também responsabilidade pelos seus atos. Nos casos mais difíceis, o apelo à responsabilidade, é mais efetivo que o próprio apelo à liberdade!
Mais uma vez... a Logoterapia é uma pequena revolução dentro da Psicologia!
Powered by LiveJournal.com
Designed by chasethestars